liderança

liderança

notícias

artigos

- 18/01/21

Reestruturação empresarial: entenda sua importância

Reestruturação empresarial - três pessoas apontando para um gráfico em uma mesa

Em momento de crise ou de grandes desafios, é importante avaliar e reestruturar a empresa para torná-la mais sustentável e produtiva. A  reestruturação empresarial se torna uma alternativa para apontar soluções e promover melhorias em diversas áreas da empresa.

No entanto, é preciso estar atento à hora certa de optar pela reestruturação. Ou seja, quando o negócio demonstra em alguns indicadores importantes que algo vai mal, em diversos setores da empresa, é preciso repensar os rumos. Para que a reestruturação seja consistente é necessário envolver todos os setores da organização, com amplo diagnóstico e planejamento.

Qual o objetivo da Reestruturação Empresarial

Geralmente uma reestruturação tem o objetivo de extinguir o que não agrega mais valor, corrigir e melhorar o dinamismo de todas as partes que compõem a empresa. Além de diminuir custos, melhorar o engajamento dos funcionários e seus gestores.

 

A consequência é uma melhor saúde financeira do negócio. Trata-se de um trabalho de aperfeiçoamento para gerar mudanças no desempenho da empresa, das pessoas que atuam na instituição e em toda a cultura organizacional.

 

Um bom plano de reestruturação empresarial leva em conta que as mudanças devem ser realizadas por etapas, respeitando o término de cada uma, para dar início à próxima. Com isso, é possível criar alicerces para uma mudança benéfica. Capacitando toda a equipe para atuar na nova estrutura.

 

Lembrando sempre que o objetivo dessa mudança é ajudar a empresa a cumprir suas metas e propósitos. Afinal, uma reestruturação vem de um objetivo a se chegar com o empreendimento. Sem uma meta, objetivos claros e definidos é impossível fazer uma reestruturação eficaz.

 

Para isso, a empresa deve adequar a sua estrutura organizacional do ponto de vista interno, ou seja, da própria organização; e externo, do mercado como um todo.

A estrutura de uma empresa é aquilo que sustenta um negócio e faz a engrenagem funcionar. Veja alguns exemplos:

  1. Departamentos;
  2. Planejamento;
  3. Processos internos e externos;
  4. Políticas organizacionais
  5. Funcionários e gestores;
  6. Produtos e serviços;
  7. Espaço físico ou virtual;
  8. Equipamentos;
  9. Recursos tecnológicos;
  10. Desempenho da equipe;
  11. Posicionamento empresarial;
  12. Reconhecimento de mercado.

A intenção é que no processo de reestruturação seja possível reavaliar esses e outros pontos. Com o propósito de entender a atual demanda do mercado, a situação real da empresa, determinar novas metas e definir mudanças para alcançar os objetivos propostos.

Deve-se ter em mente que um processo de reestruturação é amplo e inclui aspectos humano, físico, jurídico, econômico e administrativo. Trata-se de um processo mais abrangente do que apenas mudar o comportamento de equipe ou outro setor da empresa.

Um olhar minucioso é indispensável para fundamentar essa mudança e determinar em qual cenário o negócio se encontra; os novos objetivos e as medidas que devem ser adotadas para que se alcance o propósito da empresa.

Importância da Reestruturação Empresarial 

Quando bem conduzida é feita por pessoas experientes e cuidadosas, a reestruturação pode trazer inúmeros benefícios à organização, entre eles, podemos destacar:

  1. Aumento da produtividade;
  2. Engajamento de equipe;
  3. Diminuição de erros;
  4. Maior controle das atividades;
  5. Resultados positivos;
  6. Estrutura documentada;
  7. Inovação e tecnologia;
  8. Integração entre setores;
  9. Criação de indicadores de desempenho;
  10. Políticas definidas.

É importante ressaltar que para haver mudanças é preciso sair do perímetro, da zona de conforto. Ou seja, mudar estratégias, pensamentos e ações, se for preciso. E muitas vezes essa iniciativa é difícil, mudar padrões é complicado, exige tempo, coragem e determinação.

Dessa maneira, é fundamental entender que o negócio não está no caminho certo, que é preciso inovar e melhorar para seguir firme na intenção de alcançar os objetivos e metas para obter uma jornada de sucesso.

Quais os tipos de Reestruturação Empresarial

Entre as modalidades de reestruturação estão: geral, mercadológica, financeira, organizacional, tecnológica, estratégica e jurídica. Abaixo vamos explicar cada uma delas. Confira:

Geral 

Abrange todos os setores da empresa, além da reestruturação de funções e cargos. É proposta quando existe uma necessidade global de mudança em todas as áreas. Efetivada quando a empresa ficou obsoleta ou está perdendo competitividade;

Mercadológica

Quando as vendas ou os negócios não vão bem e necessitam de um reforço, mudança de estratégia e ações. Neste caso, vale rever as ações de publicidade, promoções, campanhas;

Financeira 

Se a empresa tiver muitas dívidas, com juros elevados, além de corte de colaboradores, comercialização de patrimônios, vendas de ativos, é preciso avaliar e, se for possível, fazer uma reestruturação neste sentido;

Organizacional 

Tem o objetivo de modernizar e simplificar processos.  Essa ação visa à eliminação de cargos e funções e os excessos de hierarquia e burocracia.

Tecnologia

Atualização dos sistemas de informação e softwares. Essa medida ajuda a tornar o negócio mais simplificado, organizado e eficiente;

Estratégica

Olhar para os processos externos e internos da empresa é fundamental. O mercado muda rapidamente, é preciso acompanhar essa transformação e as novas exigências do mercado de atuação. Por isso, é fundamental que a empresa se atualize de maneira constante, reavalie suas estratégias e conceitos e efetue mudanças se houver necessidade. Para isso, é preciso uma avaliação apurada para identificar pontos fortes e fracos na empresa e uma pesquisa profunda de mercado para efetuar as mudanças de forma segura.

Jurídica

Sob a ótica jurídica, a reestruturação empresarial pode envolver várias áreas do direito. Podemos falar dos contratos financeiros e seus impactos no fluxo de caixa da empresa. Um outro viés é analisar a composição societária e verificar se existe possibilidade para transações com terceiros (um fundo ou um investidor estratégico, por exemplo). Ainda é bastante comum abordarmos dentro da ótica jurídica questões tributárias e trabalhistas, por exemplo.

Quando a Reestruturação Empresarial é indicada

A reestruturação empresarial é indicada para promover a modernização do negócio, proporcionar eficiência na gestão e no mercado de atuação, visando aumentar lucros e diminuir gastos.

Também é feita para obter condições melhores frente à concorrência, proporcionar uma permanência sólida e inovadora no mercado, além de ser um instrumento de reavaliação de produtos e serviços para promover modernização e atualização. Outra característica é eliminar cargos e funções que não são mais necessários ou no qual se encontram colaboradores em demasia.

Podemos usar o exemplo de um veículo. Quando nosso carro não está bom ou apresenta alguma falha, levamos no mecânico para que seja diagnosticado, para então poder executar o reparo de forma efetiva e precisa.

O mesmo acontece com a empresa. Quando se percebe que algo não vai bem, é preciso fazer um diagnóstico e solucionar as falhas, para então seguir de forma segura e promissora.

Passo a passo para uma Reestruturação Empresarial eficaz

Liderança

Para manter uma empresa é preciso, primeiramente, definir quais pessoas são líderes capazes de guiar o negócio, desenvolver e identificar as mudanças necessárias que precisam ser feitas.

É fundamental ampliar a visão de liderança, perceber quem são as pessoas com capacidade de exercer autoridade. Dessa maneira, é possível inclusive, dar oportunidades a pessoas com visão moderna, de equipe, empáticas e que tendem a ser líderes natos.

Planejamento

Quando é feita uma análise de quais os setores devem ser aperfeiçoados, é possível traçar novas metas e iniciar um planejamento. Dessa maneira, iniciar as mudanças que devem ser feitas.  

No mercado existem diversos softwares de automação de tarefas que podem auxiliar no planejamento, integrando dados e otimizando os processos.

Controlar as informações e a oferta desses conteúdos é imprescindível. Muitas vezes é preciso optar pela troca de sistemas computacionais e melhorar processos e análises dessas informações. Uma medida eficaz para  conduzir novas decisões e agilizar ações.

Gestão financeira

Crescimento empresarial necessita de uma gestão financeira saudável e cuidadosa, que gera crescimento do negócio, aumento na produção e lucros.

Por isso, é preciso que neste âmbito do negócio estejam à frente pessoas com conhecimento financeiro e questões econômicas. Gerir de forma criteriosa os recursos é fundamental para o sucesso e o bom andamento do negócio.

Processos

Para uma reestruturação eficiente, é necessário identificar os processos organizacionais para que a empresa ganhe produtividade e tenha sucesso.  Em muitas empresas as operações são executadas de maneira manual e desorganizada, o que gera muitas vezes retrabalho ou trabalho desnecessário.

Portanto, a identificação dos processos, sua implantação, acompanhamento e controle precisam ser feitos de maneira prioritária.

Portfólio de serviços

A organização do conjunto de trabalhos ou serviços realizados pela empresa para mostrar suas características e aptidões aos seus potenciais clientes é chamado de portfólio. Esse é um registro que apresenta a capacidade de produção, os serviços oferecidos, a qualidade desse trabalho e os diferenciais que a empresa pode agregar.

Mesmo se tratando de um requisito indispensável para alcançar novos clientes e metas, nem sempre as empresas contam com um portfólio.

A reestruturação do portfólio deve levar em consideração produtos e serviços de maior aceitação e mais rentáveis, ou até mesmo, a reorientação do perfil do público alvo.

Cultura organizacional

Uma das tarefas mais difíceis é promover uma nova cultura na empresa, visto que as pessoas já estão acostumadas com o modelo dominante imposto anteriormente. Esse é um desafio na reestruturação, pois gera muitas vezes uma certa resistência por parte da equipe nas mudanças e visões propostas.  

Esse é um processo de mudança mental, de comportamento. Não apenas estrutural. É preciso transformar a mente e a forma de pensar o trabalho. Por isso, a transformação cultural deve ser implementada antes das transformações estruturais e objetivas, para que a equipe já vá se acostumando com as mudanças.

Treinamentos

Com a equipe definida e as mudanças culturais e organizacionais fundamentadas, é necessário investir em treinamento e capacitação para que o novo modelo de negócio seja efetivo e tenha sucesso. Vale investir em workshops, cursos, eventos e outros treinamentos possíveis.

Acompanhamento

Com todas as mudanças planejadas e executadas é preciso acompanhar de perto e de maneira constante a nova fase do negócio. Esse olhar cuidadoso pode garantir que os objetivos e metas sejam atingidos.  Além disso, é fundamental fazer alterações necessárias durante todo o processo de mudança.

Quem deve ser o responsável pela Reestruturação Empresarial

Os líderes do negócio devem estar envolvidos e apoiando a reestruturação. No entanto, deve-se analisar se realmente a reestruturação deve ser conduzida pelos próprios gestores. Afinal, geralmente a empresa continua funcionando, mesmo durante o processo de reestruturação, o que pode afetar o andamento de ambas as atividades.

Outro aspecto a ser levado em consideração é a necessidade de inovação, de outros olhares. E muitas vezes os gestores já estão acostumados a seguir o mesmo comportamento ou até mesmo possuem uma certa dificuldade para realizar as mudanças necessárias.  

Ou seja, reestruturar significa implementar inovações e atuais práticas de gestão. Por isso, se for possível, uma das alternativas é investir em uma consultoria empresarial. Essa medida reúne profissionais com novas visões, experiências e conhecimentos que podem acrescentar muito nessa nova fase da empresa.

Isso significa agregar a visão de consultores que estariam não apenas conduzindo esse trabalho, mas também moldando a nova cultura da empresa em sintonia com os gestores.

Reestruturação Empresarial feita. Isso quer dizer que o trabalho acabou?

Como citamos acima, o último processo da reestruturação empresarial é o acompanhamento de todo o trabalho. Acompanhar de perto e estar sempre atento, para que as mudanças realmente se perpetuem, garante que os objetivos sejam  atingidos.  

Além disso, o mercado está mudando constantemente e inovando. Dessa maneira, é fundamental que a empresa, mesmo após de reestruturada, continue atenta a essas mudanças, buscando sempre inovar, para não cair na rotina novamente e ficar obsoleta.

A intenção é sempre ajustar as demandas internas e externas para manter a saúde do negócio, a competitividade e os lucros.